3 cartas surpreendentes psicografadas por Chico Xavier

0
1850

Chico Xavier foi responsável por psicografar diversas cartas diferentes, que serviram como forma de confortar pessoas que desejam saber mais a respeito dos seus parentes já falecidos.

Assim, o médium manteve a comunicação com uma série de espíritos e trouxe à tona as suas mensagens, que sempre contavam com detalhes íntimos a respeito dos falecidos, bem como condições ligadas às suas mortes que somente poderiam ser reconhecidas por pessoas próximas.

Abaixo você encontrará três cartas que foram psicografadas por Chico Xavier e podem te surpreender bastante.

  1. A despedida de um menino para a sua família

O garoto chamado Rangel faleceu quando tinha apenas 3 anos de idade. Assim, através de Chico, ele enviou uma carta para os seus pais, Célia e Aguinaldo. O fato aconteceu um ano após a morte do menino, que faleceu antes que pudesse ser alfabetizado portanto, o registro traz uma letra bastante infantil, de quem está começando a aprender.

De acordo com informações de Célia, antes ainda que Chico Xavier começasse a ler a mensagem para ela, durante uma reunião ocorrida no Centro Espírita da Prece, localizado na cidade de Uberaba, o médium chegou a afirmar que o seu filho estava presente no local.

Na ocasião, ele afirmou que Tetéo, como Rangel era conhecido, estava correndo pelo local e fazia tentativas constantes de abraçar a sua mãe. Ainda sobre isso, Chico revelou que o menino escreveu a carta recebendo a ajuda do seu avô.

  1. O professor

A segunda carta surpreendente psicografada por Chico Xavier diz respeito ao professor Arthur Joviano, que nasceu no ano de 1862. Arthur foi bastante conhecido no Brasil durante o século XIX, especialmente por atuar como l íder da reforma do ensino primário em Minas Gerais nesse contexto.

De acordo com informações da revista Super Inteteressante, Joviano era autor de uma série de livros sobre pedagogia e atuava como professor de português. Ele faleceu em 1934 e voltou a fazer contato com a sua família através de Cchico Xavier, que na época trabalhava como subordinado do seu filho.

Assim, é possível afirmar que as cartas de Arthur Joviano foram algumas das primeiras psicografadas pelo médium e acabaram resultando no livro Sementeira de Luz.

  1. O filho que não queria partir

A última carta surpreendente psicografada por Chico Xavier diz respeito ao jovem William, nascido na cidade de Belo Horizonte. O rapaz era filho de Aníbal e Adélia Figueiredo e entrou para o exército quando tinha apenas 17 anos de idade. Pouco depois, ele acabou adoecendo devido a um calo que infeccionou. Os fatos em questão aconteceram no ano de 1924.

Assim, William chegou a passar vários meses hospitalizados. Porém, as tentativas de conter a infecção não deram resultados e ela acabou avançando ao ponto de se tornar uma gangrena que não poderia ser revertida. Posteriormente, essa gangrena causou a morte do rapaz.

Depois de um mês do falecimento do jovem, ele começou a enviar cartas psicografadas para a sua família através de Chico Xavier. Isso persistiu até a morte de Adélia.

Deixe seu comentário